sábado, 21 de março de 2009

Versos

Versos

Versos do meu encanto! Acalanto! Manto
Agasalho do espírito... Sua libertação
Albergue da solidão! Canto! Pranto
Que se derrama pelas mãos!

As chagas do coração! Tantas! Santas
Vão me lavando as palavras... Lágrimas
Nó ao pé da garganta! Espanta! Levanta
Impetando velas n’um mar revolto de rimas!

Verso! Sândalo! Fatal gume que perfuma
Jugular da emoção... Cajado da alma
Braços alados! Cruz pesada feito pluma!

Púrpuras amapolas sobre o papel
sangrando... Do pensamento a grafia
Rosicler aurora no ocaso desmaiando!

Dedos de eternidade esculpidos em
................................ Poesia!

By Iza
18/03/2009


Direitos Autorais Reservados

5 comentários:

Beatriz Prestes disse...

Amei este poema Iza!!!!!

Incrível como aparecem palavras que de repente, e num repente, nos remetem ao já sabido, ao sentido!
Sândalo é dos meus aromas preferidos...e quando li esta palavra no contexto do teu poema...nossa....pensei: é a Iza!!rsr
Você e tua poesia, são terapias, encontro de alma!!
te amo Iza, muito, com sinceridade!
Bea

MOCHIARO disse...

Com tantas poetisas eternamente amadas
Nessa mistura somente em ninhos
Onde perambulando em mentes pensadas
No eterno amor onde floreio carinhos

Quem sou eu disse...

Irmã AmigAmada...

Versos...mais do que Maravilhosos Versos, tua alma sempre plena do mais lindo sentir, que voeja em poesia inigualável.Aqui, te lendo, agradecendo todo carinho e apoio ao nascimento do meu "bebê blog"...
Te Amo,Amiga! Beijo de Luz
Veronica-Noic@

Retalhos de Amor disse...

Beazinha, Amigo Mochiaro e Linda Vê...
Obrigada, viu!!!
Pelo tanto que acrescentam aos versos
meus... Pelo estar comigo em Poesia!!!
Beijos de luz no coração de cada um!!!
Iza

Aninha disse...

As palavras raramente conseguem expressar o que o coração sente, mas vale
calar-se do que dizer algo incompleto por isso calo-me e te ofereço todo o meu
silencio e nele estará contido tudo o que certamente compreenderá