quarta-feira, 11 de março de 2009

Feições de Eternidade

Feições de Eternidade

Em manhãs assim com gosto de silêncio, feições de eternidade encolhem-se entre meus lençóis todas as minhas vontades! Abro o livro da nossa história, releio nossas páginas e deixo-me ficar no olhar dos meus pensamentos... Soletrando intenções, silabando tuas pétalas, arrumando flores na orquestra da saudade!
Quisera dobrar em sempres a face destes momentos... Tingí-los sem prazos, indeterminá-los no tempo!
Que não cresçam em afobações e ervas daninhas as calçadas, nem acorde a lida na garganta da cidade inda adormecida no suor do cansaço que lhe nutre as veias da vida!
Porém... Já orvalham chilreiras canções nas grimpas das goiabeiras, pios peregrinam em vôos sorrateiros, um sabiá desperta o gogó grinaldando a laranjeira, no relógio da matriz o primeiro gesto do dia estremece seus ponteiros em pêndulos de anunciação!
Ao longe, apitam passos impacientes... Palavras mastigadas com afã entre os bocejos da manhã, coberta de neblina, e algumas buzinas dizem da solidão profanada cortando a sangue frio o rumo da minha contemplação!
Fecho então o mundo além do portão e recolho-me na ilha que inventei para morar o NÓS, inabitada de outrem... Sem versos cansados ou ápice de poentes, sem estranhas marés quebrando nossas rimas de almas e corações num mesmo fragmento conjugados
.................................................................. Atemporais!

By Iza
10/03/2009


Direitos Autorais Reservados

6 comentários:

Luiza De Marillac disse...

Amada Amiga Iza, teu texto é pura arte mesclada à vida, um canto repleto de natureza, de paixão e de amor. Parabéns, poetisa, sempre vale a pena revê-la em Retalhos de Amor... Beijos e meu carinho, Luiza

mochiaro disse...

Amiga Iza
Ao ver a lua sonolenta acordando o sol pude sentir o quanto uma manhã com gosto de silêncio como dizes, acolhe em nossa mente momentos pensados, realizados e a ver em realizações.
Como disseste são mudanças que se processam no correr do dia e de um início em nascente o poente nos fecha em pedaços fragmentados no quebra cabeça da vida.
Quem dera pudesse expressar no fundo o que essas linhas dizem mas minhas palavras se perdem ao traduzir o que a mente evolui.
Um abraço
mochiaro

Renato Baptista disse...

Conheço essa ilha afilhada. Banhada por luz sensual, atravessada por magias plenas, encantada por música que só a alma escuta e que inunda a vida de sonhos não reias mas reconfortantes... o que não basta.
Beijo* e parabéns pelo texto irretocável.

Renato Baptista

Beatriz Prestes disse...

Iza....amiga do coração!
Acompanhar o que diz teu coração em poesia, tornou-se necessidade!
Você tem uma capacidade de primoramento, que fico maravilhada!!!
Você vai além em talento, inspiração, e principalmente em sentimento e amor....
Eu na verdade me sinto estagnada em tudo isso. rsr
E você não....vai como pluma ao vento..cada vez mais capaz!!!
Te adoro, te admiro e faço todas as reverências a você!!!
Beijo com imenso amor
Bea

Beatriz Prestes disse...

Corrigindo:
aprimoramento.

Retalhos de Amor disse...

Querida Luiza, Amigo Mochiaro,
meu Padrinho e Amigo Renato e
minha Mana Beazinha...
Obrigada, Amigos!!!
Pela presença querida, que sei, na emoção do sentir!!!
Beijos procêis...
No coração!!!
Iza