segunda-feira, 23 de março de 2009

Cela do Espírito

Cela do Espírito

Culpada por amor! E o sonho, em goles de tristeza, vai apagando a ribalta dos meus olhos solitários num louvor de lágrimas!
Cálices! Apartai de mim estes travores! Despojos de videiras antigas sem a ebriedade do vinho! Cepas duvidosas já não encerram a vida, nem maduram cheiros... Apenas permanecem num credo teimoso de ressurreição!
E vou tuas sombras colhendo para vestir minh’alma que, na surdina das tuas canções, valsa o passado numa viagem inquieta pelos campos das ilusões pensadas em amanhãs, mas retidas entre o joio que a gente não curou e o trigo, queimado em lutos, voou então suas cinzas nas tantas ventanias que varreram nossas asas!
Como seriam nossas manhãs, em glórias de sóis, sobre o fulvo trigal se estendendo? No riso das nossas mãos o ouro desse sentimento fulgindo, sem esses mares de consciência nos afogando os gestos e os sentidos em circunspecções?
Na voz do tempo ouço ainda aquela nossa cantiga de eternidade, quando a saudade era apenas um estribilho nas estrofes do reencontro... Não! Esta ceia de lembranças, da qual sobrevivo, nestas noites em que o coração ajoelha súplicas esmolando uma migalha da lua tua!
Culpada por Amor! Chave do meu infinito! Eis o veredicto: Sentenciada à prisão perpétua, pois amar-te é a minha verdade, privada do tudo permanecerei algemada ao silêncio no qual te habito
........................................................ Na Cela do Espírito!

By Iza
23/03/2009


Direitos Autorais Reservados

6 comentários:

daufen bach. disse...

Olá Poet(IZA),

Como estás?
Eu vim aqui te visitar. Eu sou um péssimo anfitrião, me despi da pretensao de ser pois, apesar de querer ser, nao levo muito jeito, muito relapso..rs.

Tu me visita sempre. Eu bem pouco apareço. Hoje vim te ver, te ler...beber um pouco da tua poesia. Gosto de estar aqui.

Que texto magnífico. Eu sei que sou prolixo, mas é necessario repetir que é magnífico.

Eu nao sei até que ponto é bom ou ruim estar preso nas celas do espírito, mas acredito que... é bom! É bom saber que somos capazes de amar e nos prender no amor..dádiva isso! Muitos sequer amam, apenas se mostram...prender-se entao ao espírito muito menos!

Tua poesia e magnifica por admitir tão veemente o amor...

abraço terno a ti.

daufen bach.

Retalhos de Amor disse...

Oi, meu Amigo Daufen... Obrigado
pelo estar, pelo sentir a essência
das pequenas palavras minhas!!!
E saibas... Os momentos que passo em
tua Poesia são de alma cheios...
Pelo tanto que me acrescentas,
pelo tudo que nela existe!!!
Beijo pra ti...
No coração!!!
Iza

Quem sou eu disse...

IzAmadAmiga...

impressionante como até da tua "Cela do Espírito" o que borbulha e escorre é da maior profundidade e beleza! Graças Senhor que vim aqui...e pude ler/sentir tanta alma transbordante da minha amiga amada.
Belíssimo, querida.Como estar contigo ao vivo e fazer desse instante, confidências.
Beijo de Luz, amada minha.
Veronica de Nazareth-Noic@

Poemas e Cotidiano disse...

Minha querida Iza!
Vir aqui, eh sentir esse jardim perfumado de sua alma.
O amor que voce sente, transcende em cada palavra que voce borda nessa sua colcha de retalhos, como voce mesma diz.
Eh minha querida, o amor eh complicado...mas nao vivemos sem ele, nao eh verdade?
E que bom que nao vivemos...

Um beijo carinhoso dessa que a tem no coracao
Mary

Beatriz Prestes disse...

Iza....flor querida!!!

Tua poesia, tua presença em minha vida, me trazem um tanto de alento!
Vir dizer que te amo! Que você é doce, meiga, amiga forjada a ouro!
Obrigada por você em minha vida!
Bea

Patrícia Lara disse...

Olá, Iza!

Em primeiro lugar, quero me desculpar pelo sumiço. rs

Explico: as minhas férias da faculdade se foram e com isso, meu tempo fica ridículo, rs, coisa mínima, pq ela me toma tudo.

Por isso estive esse tempo ausente do seu espaço tão lindo.

Mas li todos os seus comentários em meu blog e agradeço, carinhosamente, cada palavrinha sua, viu?

Hj estive por aqui um tempo, li todos os posts atrasados (me atualizei), rs, me enchi de alegria, pq poesia é a parte de mim que mais pulsa, que mais vive.

Uma pena não poder, agora, me dedicar mais a ela e aos amigos e amigas poetas que fiz por este universo de versos.

Isso me deixa realmente triste.

Mas, vou passar por aqui, de quando em quando, para (como disse o meu amigo daufen bach) beber de sua poesia, tão gostosa de se ler.

Parabéns mais uma vez pelo seu espaço... lindo!

Um grande abraço a vc,
Patrícia Lara