sábado, 3 de janeiro de 2009

Sedas de Ti

Sedas de Ti

Ondas de seda na fome das tuas mãos
Ladeiras emergentes dos teus desejos! Sumário

De todos os teus anseios, um a um invocados
Balbucio febril... Sem trelas, nem pejos!

Na sede amanhecida em minha saudade
Sequiosa e volátil, sigo a trilha da tua perdição
Doudos torvelinhos... Twist alucinado
Entre teus arpejos caminho, perdida contenção!

Afoita-te! Suspiros resumindo-nos
Ancas de euforia, regala-me em teu vinho
Ebriedade cumpliciada... Édens consumindo-nos!

E a manhã inaugurada em aleluias
Verte-se num sol impoluto, sobeja bonança
Rasa de flores no leito desse momento...

Que ora em margens sossegadas
......................... Descansa!

By Iza
03/01/2009