segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

In Extremis

In Extremis

Amo-te! De um amor inextinguível
Estrelas concebidas em pólos diferentes
Ao bel-prazer d'outros acontecimentos
Imposto poente... Abortada nascente!

Amo-te! De uma maneira indefinível
Beirando as raias da loucura
Cicuta e mel em goles de saudades
Gotas de esperança... Antídoto e sutura!

Amo-te! No silêncio da tua necessidade
Pois te sei sentimento de pedra e cal
Sede de um rio chorando minha tempestade!

In extenso! Fortaleza inexpugnável
Ante a marcha das adversidades perfiz... Do
Meu verso o escudo à muralha do impossível!

Mesmo perigando-me um kamikaze coração
.................................... In extremis!

By Iza
23/01/2009


2 comentários:

daufen bach. disse...

Iza minha grande amiga,
que bom foi ver no blog um comentário teu! Ando distante da net e venho pouco, mas vou guardar nesse pouco tempo, sempre uma visita a ti.
Teus versos são unicos, inconfundíveis!

Abraço forte que Deus te ilumine sempre!

daufen bach.

Clau Assi disse...

Iza, poeta amada

Que passeio maravilhoso me proporcionaste!!!
Tua poesia grita na minha alma.

beijos ternurentos

Clau Assi