terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Das Palavras

Das Palavras

Quase escuro, espreita-me o dia sobre o muro
O vento dança n’uma árvore de ninhos
Arranhando o silêncio das folhas, vaziando
Formigas e cascas... Maná dos passarinhos!

Num toco de lápis desafio as palavras
Uma atrás da outra... Fórceps nascimento
Teimosas que são em suas cambalhotas
Seguras nos cabelos dos meus pensamentos!

Falaz tentativa de fuga... Cócegas na imaginação
Noctâmbula vigília a prumo nos meus olhos
Esperando apenas o descuido da razão!

Porque as palavras nos nascem dos desvãos
Entre o louco e o sereno, a queda e a apoteose
Poeira de céu... Estrelas do chão!

Paraíso terminal, o açúcar e o sal, sentimento em
.............................................. Overdose!

By Iza
08/01/2009

3 comentários:

Luiza De Marillac disse...

Overdose de linda poesia, amiga, neste belíssimo soneto!!! Que maravilha é ler-te, Iza, nesses versos desenhados de amor e paixão.... Beijos carinhosos da sua amiga e admiradora, Luiza

TANTOS VERSOS disse...

Há tempos(e quanto tempo não minha amiga?), acompanho tua poesia linda, e ela é sempre inédita em seu sentido e alcance do coração!
Você escreve DIVINAMENTE!!!
Olha Iza....você é sempre um presente lindo na minha vida!!
Um presente em voz e versos!!!rs
Te amo viu? Te aplaudo sempre!!!
Beijo carinhoso
Bea

splendid disse...

I will pass on your article introduced to my other friends, because really good!
wholesale jewelry