quinta-feira, 16 de julho de 2009

Sempre Saudades

Sempre Saudades

Quero viver Amor contigo, ouvir o teu dia
Abraçar tua noite, ser... O corpo do teu levante
Sem previsões, mascaradas demarcações
Apagar meu silêncio no passo do teu intante!

Ando em desvario! São tantos afluentes
Não adianta ser rio, se o teu mar
não me alcança... Se do teu céu não
provém, do amém, a esperança!

Sei da hora avançada, desmaio da aurora dos
sonhos madrugados! Quisera... Vida sem tramelas
Juramentos de olhares no sentimento edificados!

Será, serei sempre saudades!? Nunca teu sol
permitido!? E o meu coração, pé no chão
Jamais ousará um maior estampido!? Somos...

Una voz, perfeita afinação, sem a coragem da
............................................ Canção!

By Iza
15/07/2009


Direitos Autorais Reservados

3 comentários:

Ataide Lemos disse...

Cara Iza,

Grato por sua visita e comentário.

Belos versos encontro aqui,

Abraços,

Ataíde Lemos

Renato Baptista disse...

Na canção ao amor o sustento da alma. Comove até a sensação que se tem quando se lê esse poema.
Sou fã incondicional dos teus escritos minha amiga.
Beijo*

Lu Cavichioli disse...

Querida Iza, vim te ver, deixar um super beijo e agradecer tuas visitas sempre tão carinhosas em meu blog.

Um lindo fim de semana!
Fique com Deus

Lu