quarta-feira, 17 de junho de 2009

Rastros em Alvorada

Rastros em Alvorada

Noite! Palco sem estremas de arcanos infinitos
Recôndito do sonho, deslumbre d'alma minha
Em balsas de nuvens navegantes estrelas
Meus olhos seduzidos n'um encômio bendito!

Noite! Noite que me abrasa em anseios o coração
Longe! Muito longe... Na janela da minha saudade
Vencendo o cárcere triste da imposta realidade
Teu fervoroso espírito é nostálgica canção!

No silêncio anunciado nos flancos da madrugada, é
Plena e manifesta a tua devoção... No alabastro da
Lua teus rastros em alvorada! Núncia constelada...

De recordações, conduzindo-me aos braços d'outros
Horizontes... Na manhã que rumora, fímbrias de luzes
Brincam matizes no escalvado dos montes! Allure do...

Meu
encanto! Reminiscências que respiro nas feições do
......................................................... Agora!

By Iza
17/06/2009


Direitos Autorais Reservados

3 comentários:

Veronica de Nazareth-Noic@ disse...

IzAmadAmiga...

guardar lembranças, saudades -passado valorizado- e "respirar no Agora", é forma/sentimento de almas muito especiais, como a tua. D'uma beleza transcendental,manamada. Estou de novo,aqui e contigo; sempre estarei.
Beijo de Luz,minha irmã de alma que amo!

Nazare Varella disse...

Boa noite amiga.Voce lá no meu Blog deixando um poema e eu acabando de escrever um outro poema que lembrei.Lembranças da Infância. Quando tiver um tempinho de uma lida e veja se gostou!
Gosto bastante dos seus poemas,seus poemas são lindos ,gosto muito muito....

António Manuel disse...

Iza:

Estar aqui no seu Blog,è um grande prazer de lèr:

Como seus textos me fazem viver outro alèm!

(Meu encanto! Reminiscências que respiro nas feições do
.......................... Agora!)

Gràto pelos seus comentàrios

Tenha Um Otimo Fim de Semana

e uma Semana cheia de realizações

Com Carinho Um Abraço Meu

Antònio Manuel